Paris: um passeio pela capital da moda

 

Se existe um lugar que, para mim, exala fashionismo, esse lugar é Paris. Claro que outras cidades como New York, Milão e Londres são ótimas representantes do mundo da moda. Mas, Paris, com todo seu charme, é difícil de ser batida nesse quesito. Paris, a capital da França, também conhecida como A Capital da Moda, no coração da Europa, berço de dezenas de grifes importantes, berço de dezenas de celebridades que fizeram história dentro da moda. Não por menos, existem várias semanas de moda ao longo do ano, incluindo a Semana de Alta Costura, que acontece duas vezes ano, geralmente nos meses de Janeiro e Agosto.

Nesse texto, não quero falar sobre como a cidade é linda ou algo do tipo, nem falar muito de turismo. Até porque, se vocês querem saber sobre tudo com relação ao turismo de Paris, podem procurar no site www.viagensdatalita.com.br Aqui quero falar sobre a moda e Paris, passando algumas pinceladas em beleza e outras coisinhas que acho importante.

Com relação à grifes famosas e extremamente importantes, acredito que existem muitas. Mas três se destacam com o peso que todas têm na história da moda.

 

Chanel

Como não começar falando sobre a grife criada por Gabrielle Chanel?! A marca nasceu quando Coco decidiu abrir uma loja de chapéus num apartamento térreo de seu amante, um rico empresário francês chamado Éttiene Balsan. Ela foi ganhando espaço conforme a elite francesa (com a ajuda dos contatos de Balsan) se apaixonava por seu trabalho. Durante essas reuniões e festas, Coco conheceu outro socialite inglês, chamado Arthur “Boy” Capel, que logo notou o empreendedorismo de Coco e financiou sua primeira loja em Paris, em 1910. Como nesse lugar já funcionava uma loja de roupas, ela só poderia vender seus chapéus. Três anos depois, ela conseguiu começar a vender suas peças de alta costura.

Veio a guerra, o mundo foi afetado e em 1921, Coco contratou um perfumista para fazer parte de seu time de funcionários. O resto é história. Chanel trabalhou na cabeça da marca até o fim de sua vida, em 1971. Após isso, em 1983, Karl Lagerfeld assumiu o posto de diretor criativo da marca, e ficou nele também até o final de sua vida, em 2019. Após sua morte, Virginie Viard, que trabalhou ao lado de Karl desde 1987, assumiu o cargo e desde então, vem fazendo um trabalho sublime.

Em Paris, podemos visitar a primeira Maison Chanel, onde foi a primeira loja que Gabrielle começou a vender suas peças. Ela fica na Rue Cambon, 31. Visita obrigatória para os fashionistas que estiverem por Paris.

Dior

Pois é. A Maison Dior também nasceu em Paris. Mais precisamente, na Rue Montaigne, 30. Christian Dior tinha uma família humilde e sempre se interessou por artes. Seu pai insistiu que ele estudasse relações internacionais, para seguir a carreira diplomática. Porém, o jovem Dior decidiu abrir uma galeria de arte em sociedade com Jacques Bonjean. Em 1935, Dior começou a ilustrar croquis de moda para seção de alta costura do jornal “Figaro Illustre”. Em 1938 ele começou a trabalhar como assistente do estilista suíço Robert Piquet. Mas só em 1946 ele conseguiu abrir sua primeira loja, com a ajuda do empresário têxtil Marcel Boussac.

Aos poucos, ele foi ganhando nome e crescendo dentro do mundo da moda. Suas peças, desde o começo, eram criadas com extrema elegância, sofisticação e requinte. As peças foram criadas realmente para serem usadas pela elite francesa. Peças femininas, com saias amplas e cintura bem marcada. Vestiu muitas personalidades ao longo desses anos, como Édith Piaf, Brigitte Bardot e a Princesa Grace de Mônaco. Ele faleceu em 1957 e desde então, a marca continua crescendo.

Louis Vuitton

Das três grifes que citei, a Louis Vuitton é a mais antiga. Sua história começou em 1854, quando o próprio Louis Vuitton, que era filho de uma família humilde, criou um ateliê para criar e vender suas malas, chamado Maison Louis Vuitton Malletier, no centro de Paris. Seu primeiro produto era uma mala revestida com um tecido impermeável com reforço de ponteiras de metal nos cantos, o que a tornava mais resistente. Ele também criava outras peças como baús e outros tipos de malas.

Com o passar dos anos, Louis teve que criar a logomarca da grife em 1896, para ajudar a diferenciar suas peças, das imitações que começavam a circular. Logomarca que é utilizada até hoje nas peças da Louis Vuitton, aquele famoso LV. Com o passar dos anos, os criadores foram falecendo, seus filhos assumindo e em 1987, Bernard Arnault, comprou a grife. Para quem não o conhece, ele é simplesmente o presidente do grupo de marcas de luxo mais rico do mundo, a LVMH (também um dos homens mais ricos do mundo). Em 1997, Marc Jacobs foi contratado para renovar a marca e com sua contribuição, mais as propagandas com Jennifer Lopez, as vendas aumentaram em 80%. Para quem quiser visitar a localização da primeira loja de Louis Vuitton em Paris, é a que fica na Place Vendôme.

Mais grifes

Tantas outras grifes têm suas sedes em Paris. Estamos falando de grifes de todos os setores. Joias, bolsas, sapatos, mais roupas, etc. Christian Louboutin nasceu em Paris e sua primeira loja também foi na cidade. A incrível grife Hermès também nasceu em Paris, no ano de 1837 (mais antiga que a LV), quando Thierry Hermès fundou a primeira loja na cidade. Em 1952, era a vez de Givenchy abrir suas portas em Paris também. Em 1966 Yves Saint-Laurent se instalava no bairro de Saint Germain. Lanvin foi fundada em 1889, Celine em 1945 e Chloé em 1952.

Enfim, poderia ficar aqui por horas falando somente sobre marcas de moda que nasceram na capital francesa. Não é à toa que existe somente a Semana de Alta Costura, em Paris. Existe uma história por trás disso que não pode ser negada. A Alta Costura nasceu em Paris. Nada mais justo de ser único lugar a realizar esse evento.

Beauté

Em questão de beleza, muitas marcas de cosméticos e perfumes, nasceram também em Paris. Mas, como sou apaixonada pela marca e pelos seus produtos, não posso deixar de recomendar uma visita até a loja da Guerlain, que fica na própria Avenida Champs Élysées, que também é chamado de Maison. Lá é possível realizar um tour pela loja, conhecendo de perto a história e como são criados e fabricados os produtos da marca. É incrível.

Onde se hospedar

O que não falta em Paris, são hotéis de luxo para a gente curtir cada segundo (se for possível se hospedar, claro). Quando tem Semana de Moda, as blogueiras famosas costumam se hospedar nos melhores hotéis da cidade, claro que em troca de divulgação. Estamos falando de hotéis como o Plaza Athénée, Shangri-Lá, Le Meurice, Four Seasons, Royal Monceau, e Le Bistrol. Todos são impecáveis em seus atendimentos, com quartos perfeitos e muita mordomia e mimos para seus hóspedes.

Minha dica, caso você queira ter uma experiência de se hospedar em hotéis 5 estrelas, porém não quer (ou não pode) gastar rios de dinheiro em hospedagem, é se hospedar em hotéis 5 estrelas, que são menos conhecidos, como é o caso do Le Narcisse Blanc e do Hotel Napoleon. Ambos são bem localizados e são 5 estrelas. Ótimos hotéis 4 estrelas também estão em alta, especialmente aquele em estilo boutique.

Dicas de moda das Parisienses

Eu adoro um livro chamado “A Parisiense” que foi escrito por Ines de la Fressange. Basicamente é um guia de estilo para qualquer mulher se vestir e se cuidar como uma parisiense. Gosto dele por ser simples, acessível e bem ilustrado, além e dar dicas ótimas. Por isso, selecionei aquelas que eu mais gostei, quando o assunto do livro foi moda. Primeiramente, ela já adianta que “Menos é mais” e eu concordo com ela.

– Colar de pérolas com uma camiseta e jeans, não com um vestido elegante.

– Smoking com um par de tênis, não com um scarpin.

– Vestido de musseline estampada com coturnos de couro gastos, não com sapatilhas.

– Calça jeans com uma sandália de pedrarias, não com tênis.

– Suéter de paetês com uma calça masculina, não com uma saia.